Número total de visualizações de página

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Carta Aberta VI - Sr. Presidente C.M.Penamacor

E já lá vão quase 5 semanas, férias e lay-off, sem nada fazer… apenas passear. Santo André, Praia do Carvoeiro, Penamacor, Faro, Penamacor, Santo André; Loulé, mina de sal Gema, Santo André, Sagres, Santo André, já perdi o numero aos milhares de quilómetros feitos em mota e carro. E umas valentes almoçaradas e jantaradas com gente amiga. Que rica vida.
Ontem, depois de ter jantado no restaurante “Raposinho”, desloquei-me até ao bar do grupo dos trabalhadores da Repsol, aqui no meu bairro, para beber um “whiskyzito”. Ainda era cedo para partir para outros locais, outros cultos, outros bares, à procura daquele encanto que só a vida da noite proporciona. Como habitualmente o jantar foi de arromba, à farta brutos.
Chega entretanto, também acabadinho de jantar, um amigo meu, colega de profissão e diz-me: - Hoje vi a tua terra na televisão e o Presidente a falar. - De que falava? Perguntei-lhe - De umas termas - Termas no concelho de Penamacor, só conheço umas, nas Águas, e creio que estão fechadas. - Pelo que vi na televisão, fiquei com a sensação que estão abertas, mas ilegalmente. A televisão mostra-as em funcionamento, O Presidente diz que estão fechadas… Notícias assim só descredibilizam a tua terra. Foi o que me disse. Fiquei triste. - Não vi a notícia, nada sei, mas, devo ter na caixa do correio os últimos números do jornal “Reconquista”. Amanhã como nada tenho que fazer, vazo a caixa, que deve estar cheia e vou até Porto Covo e ponha a leitura em dia.
Gosto de ler a ouvir o mar, olhar o mar, ver lá ao fundo no topo da colina, sobre a baia de Sines, a minha varanda… naquele oitavo andar…razões porque com frequência, vou para o monte, que dá o nome à Praia do Serro da Águia. Isso hoje fiz, pela tardinha, já que me levantei tarde, a noite acabou longa mas memorável. Sem egoísmos, quero partilhar num próximo post, com todos os machos portugueses, as coisas boas, com que a loucas noites no presenteiam por vezes.
Sr. Presidente.
Li as últimas edições do jornal “Reconquista”, nada vi relacionado com as termas, contudo, não resisto a transcrever o que li na edição de 16 de Julho: - "Jardim da República reabre com outra cara Esta transformação de um dos espaços mais emblemáticos de Penamacor não é consensual e Domingos Torrão assume que poderá provocar “alguns engulhos” entre os penamacorenses. “ Quem tem poder de decisão decide e mesmo que decida mal mas é preferível decidir que andarmos sempre a dizer mal uns dos outro”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal."
Sr. Presidente
Jamais pensei em ler semelhantes palavras, são como gotas de ácido, fortíssimo, que me queimam sem dó nem piedade Vivo no Alentejo há já 27 anos. O Alentejo é conhecido pelo berço do anedotário nacional. E, nunca aqui ouvi semelhante coisa. O autoritarismo que essas palavras revelam, sem considerar o errado da opção, fazer do jardim uma selva… Sr. Presidente Aqui no concelho onde vivo, também se tomam decisões, que nem a todos agradam, mas, têm este executivo, uma ferramenta, a que chama de participação integrada do cidadão, e que inteligentemente usa. Decisões, projectos, etc, que possam gerar discussões, conflitualidades de interpretações, etc, são postas a análise e votação. As decisões tomadas, bem ou mal, são escudadas nas votações obtidas. E assim, lavam o capote, como dizem. Uma lição a tirar. Porque está na minha hora de jantar, espera-me em Ademas, no restaurante Monte da Vinha , o mais saboroso frango do campo com pimentos, feito em todo o Alentejo. E para o jantar de amanhã, quarta-feira, em Brescos, desde há umas horas, que já está em molho de vinha d’alho, um perna de javali.
Com as mais cordiais saudações
Zé Morgas

Sem comentários:

Enviar um comentário