Número total de visualizações de página

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Sonetos de Macau - Macau

Vasculhando um velho baú, encontrei alguns sonetos, que sabia existirem,  mas que nunca tinha lido, meu Pai já me tinha dito ter escrito vários poemas na célebre Gruta do Camões, no período em que foi expedicionário a Macau entre 1949 e 1953 do século Passado.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Carta Aberta XXXVII - Sr. Presidente da C.M.Penamacor

Sr. Presidente
É com a satisfação do costume que leio notícias nos semanários regionalistas da Beira Baixa sempre que dizem respeito a Penamacor.
Pelo jornal Reconquista fiquei a saber que a Câmara Municipal de Penamacor abriu um concurso público para a requalificação da rua 25 de Abril, antiga Rua Vaz Preto, entre o jardim da Republica e o Alto da Praça, abrangendo ainda a intervenção as ruas Ribeiro Sanches, Santo Estêvão e parte da rua dos Pelames.
Longe vão os tempos em que ouvia conversas de pessoas mais idosas falar da excelência das calçadas de Penamacor, distintas em todo o distrito.
E tinham toda a razão.
Rebelde e aventureiro em jovem de tenra idade, fiz das calçadas de Penamacor, as minhas pistas velocipédicas, não porque tivesse pés velozes, mas de bicicleta e de motorizada, com particular destaque para as loucas e vertiginosas descidas na rua Miguel Bombarda, mais conhecida por rua de Carros, sempre feitas em pura aceleração, de punho trancado, e ao deus-dará, à revelia de Minha Mãe, sempre com o coração nas mãos, o que muito aceleradamente contribuiu para o precoce vincar de inúmeros sulcos na linda pele do seu rosto.
Sr. Presidente
Observe a foto.
Se o uso, as intervenções ao longo dos anos por razões várias e necessárias, levam à natural degradação do estado das calçadas, factos há em que a mão humana com manha ardilosa acelera esse processo.
Esta armadilha já foi menor, cresceu, e simultâneamente a ondulada degradação dos paralelepípedos da calçada.
Numa das minha primeiras cartas abertas, enviado ao anterior presidente da C.M. Penamacor, em 26 Abril de 2009, alertei para este caso, e outros dignos de registo, com várias fotos.
Compare as fotos, veja o "crescimento" do mamarracho e os acentuados danos causados na calçada pela solução adotada, que projeta as águas pluviais para o centro da via.
Tal mamarracho, edificado na valeta, no tempo da outra senhora era impensável, não acontecia.
Urge remover a armadilha e solucionar o problema de outra forma.
Há tantas soluções.
Cada vez mais têm a Câmara meios para o fazer. Intima-se o dono, dá-se-lhe um prazo e caso não cumpra, derruba o mamarracho.
No final apresenta a conta ao prevaricador. Está tudo dito. É só querer.
Mesmo que haja muito para fazer, um modesto Fiscal pode dar início ao Processo e a instrução do mesmo passa pelo Serviço de Obras.
Depois de tudo muito bem fundamentado o Sr. Presidente despacha.
Onde está a dúvida?
Onde reside o problema?
Ou será que vamos continuar a deixar degradar as calçadas de Penamacor impunemente?
Sr. Presidente
Ofereça neste Natal como presente aos Penamacorenses a demolição desse mamarrachinho tão indesejável e tão destruidor da calçada da Rua de Carros
Termino desejando a todas e todos os habitantes do concelho de Penamacor um
Feliz Natal e as
Melhores entradas em 2015
 
Zé Morgas