Número total de visualizações de página

sábado, 11 de junho de 2011

Carta Aberta XXI - Sr. Presidente C.M.Penamacor

Eu sou beirão como vós, eu sei o que é o Portugal profundo e sei o que é sentir que a partir de hoje temos um monumento, que eu espero não seja apenas pedra dura mas um monumento vivo onde os avós tragam os seus netos e expliquem”
in Jornal Reconquista, pág. 24, 2011-06-09
Sr. Presidente
Estas palavras proferidas pelo presidente da Liga dos Combatentes, tenente-general Joaquim Chito Rodrigues, no discurso de inauguração do monumento Aos Combatentes do Ultramar, apenas dão mais sentido ás minhas preocupações relatadas na anterior Carta Aberta: 
A localização do recém inaugurado Monumento.
Já estou a imaginar grandes Passeios de Avós vergados pelas agruras da vida e pelo peso da idade, com as/os netinhas/netinhos pela mão, tão enérgicas/os quanto indefesas/os, a atravessar aquela rotunda em direcção ao centro, para ali ouvirem a história daquela escultura.
Um dia, “indesejadamente aconchegam um carro ao colo”.
Visto! Visto!
Foram vários carros no passado fim-de-semana, a parar em plena rotunda, condutores e ocupantes a saírem munidos de telemóveis e máquinas fotográficas, direitinhos ao monumento para fazerem os desejados registos para mais tarde recordar.
Vamos ter futuramente a autoridade a fazer o que lhe compete ao abrigo do cumprimento da lei:
Autuar quem transgride, estacionando, onde não deve, e…
Pelo muito observado está ali uma boa fonte de rendimento…
Sr. Presidente
Tal como assumiu no discurso proferido na mesma data foram cometidas muitas asneiras ao longo da nossa História”, e particularmente no nosso concelho um manancial delas. Ambos sabemos porque as conhecemos. De muitas já lhe dei conhecimento nestas minhas cartas abertas. De mais lhe darei conhecimento.
Urge agora e rapidamente corrigi-las.
Mude-se o local do Monumento, antes que aconteça alguma desgraça.
Faça-se um Stop ás lágrimas.
Sr. Presidente
Para quem diz saber o quanto é importante fazer mais com menos, para que o município na viva acima das suas possibilidades”, não consigo compreender com se esbanja assim dinheiro.
Tal como o mamarracho do Sumagral, é um faz, desfaz e volta a fazer, num concelho com tantas carências básicas por resolver.
Sempre ao Dispor
Zé Morgas

Sem comentários:

Enviar um comentário